Skip to main content
search

O Grupo Greenvolt registou um crescimento expressivo em 2023, apoiado no forte desempenho do Utility Scale, mas também fruto da expansão da Geração Distribuída, num ano marcado por um menor contributo do segmento da Biomassa em resultado dos preços de energia mais baixos no Reino Unido.

O Utility Scale, além de ter multiplicado por mais de seis vezes as suas receitas, para 152,4 milhões de euros, representou metade do EBITDA. Excluindo custos de transação, o EBITDA do Grupo ascendeu a 103,1 milhões de euros, permitindo que o resultado líquido atribuível à Greenvolt, excluindo o efeito das operações descontinuadas, tenha totalizado 7,5 milhões de euros, sendo o resultado líquido total atribuível de 1,2 milhões.

A evolução positiva do Utility Scale permitiu-nos, ao mesmo tempo, compensar os custos de expansão na Geração Distribuída, segmento estratégico para o Grupo Greenvolt. Apesar de as receitas deste segmento terem mais do que duplicado face a 2022, o desenvolvimento da plataforma no pan-europeia de autoconsumo para novos mercados continua a estar em fase de aceleração“, refere João Manso Neto, CEO do Grupo Greenvolt.

Na Geração Distribuída, o Grupo Greenvolt prossegue o crescimento da sua plataforma pan-europeia de autoconsumo, estando já em 10 geografias. As receitas atingiram os 70,8 milhões de euros em 2023, um aumento de quase 136% em comparação com o ano anterior, enquanto o EBITDA do segmento foi negativo em cerca de 6,0 milhões de euros, sendo o objetivo de atingir um EBITDA anual positivo em 2024.

Biomassa penalizada por preços mais baixos de energia

As centrais de biomassa do Grupo Greenvolt injetaram um total de 998,3 GWh de eletricidade na rede em 2023, menos 2,7% que no período homólogo, com as receitas operacionais a encolheram 13,7% para 168,4 milhões de euros.

As centrais de biomassa em Portugal mantiveram um forte desempenho operacional, apesar da ligeira diminuição do load factor para 81,1%, assim como a Tilbury Green Power, no Reino Unido. Contudo, as receitas do segmento são impactadas pela redução dos preços de eletricidade no mercado britânico que, em média, foram 53% mais baixos do que os registados em 2022.

Utility Scale multiplica receitas e EBITDA

Enquanto o EBITDA da Biomassa encolheu 38,6%, para 56,9 milhões de euros, o Utility Scale apresentou um EBITDA de 51,2 milhões de euros, um aumento de 5,2 vezes face a 2022, suportado em receitas de 152,4 milhões de euros, 6,2 vezes superiores às registadas no período homólogo.

Este resultados foram principalmente impulsionados pelas vendas de energia e green certificates dos ativos em operação, que continuam a ser uma base sólida para a estabilidade dos resultados do segmento, e pela contribuição da venda de ativos desenvolvidos e construídos durante o ano.

Atualmente, a Greenvolt tem 26 parques solares na Polónia, Roménia e Portugal, com uma capacidade total de 246 MW, que injetaram um total agregado de 172,3 GWh de eletricidade na rede. Face ao comunicado de resultados dos primeiros nove meses de 2023, a 28 de novembro de 2023, registou-se um aumento da capacidade instalada em operação de 189 MWp para 246 MWp no final de 2023, representando um aumento de 30% entre trimestres.

O pipeline total de projetos ascende, atualmente, a 8,4 GW em 17 geografias. Deste total, estima-se que até ao final de 2024, cerca de 4,5 GW estarão em RtB, construção ou COD (incluindo 1,4 GW de soluções de armazenamento na Polónia). Atualmente, a Greenvolt já tem um total de 2,7 GW pelo menos em RtB, um aumento de 108% em relação à última publicação de resultados, com seis dos projetos de armazenamento na Polónia que atingiram o estado de RtB nos últimos meses.

Geração Distribuída alcança os 10 mercados

A Greenvolt tem como o objetivo continuar a desenvolver uma plataforma pan-europeia para o autoconsumo, que se caracteriza por oferecer soluções únicas para que as grandes empresas, com presença em múltiplas geografias, consigam acelerar a transição para práticas energéticas sustentáveis em diversas regiões.

Em 2023, a Greenvolt concluiu a sua entrada em cinco novos mercados, elevando para 10 as geografias em que está presente, das quais nove europeias e uma asiática (Indonésia).

As receitas deste segmento atingiram os 70,8 milhões de euros em 2023, um aumento de quase 136% em comparação com o ano anterior, impulsionadas principalmente por atividades mais estabelecidas em Portugal, Itália e Irlanda, que estão a registar montantes cada vez mais significativos de receitas e EBITDA positivo.

O EBITDA total do segmento, contudo, foi negativo em 6,0 milhões de euros, refletindo a fase de arranque desta atividade, bem como o enfoque na consolidação da infraestrutura, sendo o objetivo de atingir um EBITDA anual positivo este ano.

Leave a Reply